14°C 30°C
Santo Antônio da Platina, PR
Publicidade

Comissão vai ao Vale do Taquari para avaliar consequências da tragédia no RS

A comissão temporária do Senado que acompanha o enfrentamento da calamidade no Rio Grande do Sul (CTERS) irá para a cidade de Lajeado para averigua...

11/06/2024 às 16h45
Por: Redação Fonte: Agência Senado
Compartilhe:
Viagem da comitiva incluirá os municípios de Lejado, Roca Sales e Encantado - Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado
Viagem da comitiva incluirá os municípios de Lejado, Roca Sales e Encantado - Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

A comissão temporária do Senado que acompanha o enfrentamento da calamidade no Rio Grande do Sul (CTERS) irá para a cidade de Lajeado para averiguar as consequências das enchentes no Vale do Taquari. Requerimento do senador Hamilton Mourão (Republicanos-RS) com esse objetivo foi aprovado na reunião desta terça-feira (11). Ele é o relator da comissão, que é presidida pelo senador Paulo Paim (PT-RS).

Continua após a publicidade

Paim informou que a comitiva da comissão irá aos municípios de Lajeado, Roca Sales e Encantado analisar a situação da manutenção dos empregos na região, além de averiguar a situação do setor agrícola e a necessidade de reconstrução de mais de 5 mil casas que foram destruídas nas enchentes. Haverá também audiência pública com a participação de prefeitos, sindicatos, associações comerciais, movimentos sociais e do Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari (Codevat). A data da viagem ainda será definida.

O requerimento aprovado ( REQ 11/2024 — CTERS ) cita a “situação crítica pela qual passa o povo gaúcho em razão das vastas chuvas” e recomenda uma diligência externa “para atestar, in loco, a realidade e as necessidades” da população. De acordo com o autor, a região do Vale do Taquari foi uma das mais atingidas pela tragédia climática.

Mourão é autor também do plano de trabalho da CTERS, que contém uma lista de proposições consideradas prioritárias para o enfrentamento da calamidade no estado e prevê uma série de audiências públicas sobre o tema. Os membros da comissão já visitaram o Rio Grande do Sul em 23 de maio , quando ouviram reivindicações do governador Eduardo Leite e conheceram vítimas das chuvas em Canoas e São Leopoldo.

Continua após a publicidade

A comissão foi criada por iniciativa do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, para centralizar os pedidos de projetos de lei e emendas constitucionais de interesse do Rio Grande Sul após as enchentes.

Também participaram da reunião os senadores Ireneu Orth (PP-RS), vice-presidente da comissão, Esperidião Amin (PP-SC) e Astronauta Marcos Pontes (PL-SP).

Foram aprovadas ainda a realização de duas novas audiências públicas: uma para debateros deslocamentos populacionais internos causados pela tragédia ( REQ 12/2024 - CTERS ) e outra para ouvir as instituições de ensino superior do estado ( REQ 13/2024 - CTERS ). Ambos os requerimentos são de autoria de Paim.

Continua após a publicidade

Reparação dos danos

Alvo de um esforço nacional para reconstrução, o Rio Grande do Sul tem o desafio de reerguer sua infraestrutura com vistas a adaptar-se para novos eventos climáticos extremos. As enchentes atingiram diretamente mais de 2,3 milhões de pessoas no estado, obrigando mais de 600 mil a abandonarem suas casas.

Ao mesmo tempo, a infraestrutura do estado foi severamente danificada, com destruição de estradas, pontes e alagamentos até do aeroporto internacional de Porto Alegre. A proteção da capital para enchentes de nada adiantou.

Dados da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul apontam que 90% da indústria do estado foi atingida pelas cheias, de proporções inéditas. Ao mesmo tempo, houve perda de grande parte da safra e extensas áreas agricultáveis permanecem alagadas.

De acordo com a Associação Riograndense de Empreendimentos de Assistência Técnica e Extensão Rural, entre 30 de abril a 24 de maio, mais de 206 mil propriedades rurais foram afetadas pelas enchentes, com prejuízos em produção e infraestrutura. Será preciso recuperar mais de 3,2 milhões de hectares de terras para cultivo afetadas pelas enchentes.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Santo Antônio da Platina, PR
29°
Tempo limpo

Mín. 14° Máx. 30°

28° Sensação
3.42km/h Vento
29% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
06h59 Nascer do sol
05h42 Pôr do sol
Dom 30° 15°
Seg 30° 15°
Ter 31° 15°
Qua 32° 15°
Qui 25° 17°
Atualizado às 13h06
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,38 +0,00%
Euro
R$ 5,77 0,00%
Peso Argentino
R$ 0,01 -0,63%
Bitcoin
R$ 376,520,33 +0,24%
Ibovespa
119,662,38 pts 0.08%
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade