Supermercado Real POP UP 2
Lettech 970x90
LUIZINHO AR CONDICIONADO 970X90
EMPREGOS

Paraná é o único Estado a registrar crescimento de carteiras assinadas

Estado tem taxa de desemprego de 9%, abaixo da média nacional

15/08/2019 20h27
Por: Redação
Fonte: Da Agência Estadual
(Foto: AEN)
(Foto: AEN)

O Paraná foi o único Estado a registrar crescimento na variação de empregados com carteira assinada no setor privado no segundo trimestre de 2019. Houve evolução tanto na comparação com o primeiro trimestre de 2019 quanto com o segundo trimestre de 2018. Os aumentos foram de 3,4% e 4,2%, respectivamente.

Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Trimestral (PNAD Contínua), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira (15). As outras 26 unidades da federação permaneceram estagnadas ou registraram quedas em ambos os períodos de comparação.

Segundo o IBGE, o Paraná foi o terceiro Estado com maior percentual de empregados com carteira assinada no setor privado, com 81,4% no segundo trimestre de 2019. A região Sul se destacou neste quesito, com os três primeiros lugares do País. Em Santa Catarina a taxa foi de 87,6% e no Rio Grande do Sul de 83,3%, enquanto a média nacional ficou em 74,3%.

Segundo o secretário de Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost, os números refletem a melhoria no atendimento das Agências do Trabalhador e a aproximação do governador Carlos Massa Ratinho Junior com o setor privado. “Nosso Departamento do Trabalho se destaca por ter uma atuação proativa, procurando grandes empresas para fazer a intermediação de mão de obra e desta forma recolocar mais rapidamente os paranaenses no mercado formal de trabalho”, disse.

Leprevost citou como exemplos a articulação para que as Agências sejam as intermediadoras de vagas nas obras da segunda ponte de Foz do Iguaçu, no Hard Rock Hotel do Norte do Paraná e na nova planta da Klabin, em Ortigueira. Serão mais de 12 mil vagas.

TAXA DE DESEMPREGO – O balanço de trabalhadores com carteira assinada consta do índice de taxa de desemprego do País no segundo trimestre de 2019, que recuou para 12%, contra 12,7% no levantamento do primeiro trimestre.

O Paraná registrou uma taxa de desemprego de 9%, bem menor que a média brasileira. Mato Grosso e Mato Grosso do Sul (8,3%), Rio Grande do Sul (8,2%), Rondônia (6,7%) e Santa Catarina (6%) ocuparam os cinco primeiros lugares.

CURITIBA - A PNAD Contínua também apontou evolução no emprego na Região Metropolitana de Curitiba, com redução na desocupação de 11,6% no segundo trimestre de 2018 para 10% no segundo trimestre de 2019, terceiro melhor resultado do País – atrás apenas das grandes Florianópolis e Goiânia.

Os números de Curitiba também figuram positivamente na pesquisa, apesar de leve alta de 8,3% para 9% entre o primeiro e o segundo trimestre de 2019. A capital do Paraná é a quinta do País com menor taxa de desocupação, atrás de Florianópolis, Goiânia, Campo Grande e Porto Alegre.

ÍNDICE NACIONAL - Considerando-se as variações em relação ao primeiro trimestre do ano, a taxa de desocupação recuou em 10 das 27 unidades da federação, permanecendo estável nas demais. O número de desalentados no segundo trimestre de 2019 foi de 4,9 milhões de pessoas de 14 anos ou mais. A PNAD Contínua estima que cerca de 3,3 milhões de pessoas procuram trabalho há dois anos ou mais.

Confira AQUI a tabela com a comparação entre o primeiro e segundo trimestre de 2019 e AQUI a tabela com a comparação entre o segundo trimestre de 2019 e o mesmo período de 2018.

Economia do Paraná cresce mais do que a brasileira, aponta BC

Segundo o Índice de Atividade Econômica Regional do Banco Central, a atividade econômica do Paraná avançou 0,56% em junho em comparação a maio de 2019 (resultado com ajuste sazonal), enquanto a economia brasileira cresceu 0,3% no mesmo período.

No acumulado dos seis primeiros meses deste ano, em comparação a igual período de 2018 (sem ajuste sazonal), o índice paranaense apresentou crescimento de 2,65%. O único resultado negativo (-0,09%) ocorreu em junho de 2019 em comparação a junho de 2018 (sem ajuste sazonal). A economia brasileira, na contramão, cresceu apenas 0,62%, sem ajuste sazonal.

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) é um indicador que antecipa o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) – que é calculado pelo IBGE. Apesar das reduções, há previsão de alta de cerca de 0,8% no PIB brasileiro em 2019.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Santo Antônio da Platina - PR
Atualizado às 10h39
26°
Muitas nuvens Máxima: 30° - Mínima: 19°
27°

Sensação

1.5 km/h

Vento

54.7%

Umidade

Fonte: Climatempo
TOCA LANCHES
Ademir Imóveis 300x600
Cinema Caffe 300x600
Foto Valdir
WhatsApp Tá no Site
CINEMA CAFFE 300x250
Rodoviário Afonso 300x250
Lettech 300x250
KANOA TROPICAL HOTEL
RM AR CONDICIONADO
Blogs e colunas
SICOOB
Foto Valdir
PIPELINE PISCINAS
CDS 300x250
Últimas notícias
SCHMIDT MOTOS 300x250
LUIZINHO AR CONDICIONADO 300X250
Mais lidas
Supermercado Real 300x250 nas notícias
NEFERSON 300x250 NOTÍCIAS
Óptica Visão
CENTRO AUTOMOTIVO BEIRA RIO 300x250 INTERNA
AUTOAR REVISORA 300x250