LUIZINHO AR CONDICIONADO 970X90
Lettech 970x90
POLÍTICA

MPF recorre de decisão que absolveu integrantes do governo Richa em caso de propina

Pedidos são para condenação, aumento de penas e mudança de regime

11/02/2020 08h43
Por: Redação
Fonte: MPF
Foto: Reprodução AnPR
Foto: Reprodução AnPR

A força-tarefa Lava Jato no Paraná (PR) recorreu de recente sentença proferida da Justiça Federal. Em 22 de janeiro, a 23ª Vara Federal de Curitiba julgou parcialmente procedentes as acusações feitas pela força-tarefa em 2018 sobre o pagamento de propina pela Odebrecht que favoreceu integrantes do governo Beto Richa.

No recurso apresentado nesta segunda-feira (10), o MPF solicita a condenação pela prática do crime de lavagem de dinheiro de Adolpho Julio da Silva Mello Neto, Deonilson Roldo e Jorge Theodócio Atherino, absolvidos por esses crimes; o aumento de pena das condenações de Roldo e Atherino, além de solicitar aumento da pena de multa e fixação do regime inicial fechado para Jorge Atherino. A Lava Jato ainda pediu aumento da pena privativa de liberdade para os crimes de corrupção passiva e fraude à licitação para Roldo e de corrupção passiva para Atherino.

“A condenação de diversos agentes públicos e privados ligados ao caso da envolvendo a concessão da PR-323 é muito significativa, pois passa a mensagem que o Estado brasileiro não tolera práticas que deturpam a livre concorrência e a corrupção no setor de infraestrutura, desaconselhando os operadores deste setor a agir em desconformidade com as regras legais. Todavia, por entender que a punição a alguns réus merece ser maior, dada a gravidade dos fatos, o MPF apresentou recurso, aguardando que o Tribunal reveja o caso pontualmente”, declara o procurador da República e membro da Lava Jato, Alexandre Jabur.

Histórico

Em 22 de janeiro, o ex-chefe de gabinete de Beto Richa, Deonilson Roldo foi condenado à pena de 10 anos e 5 meses de regime inicial fechado pela prática dos crimes de corrupção passiva e fraude à licitação, além de pagamento de multa.

Já o empresário Jorge Theodócio Atherino, operador financeiro do grupo político que comandava o estado do Paraná, também foi condenado pela prática do crime de corrupção passiva. O juiz aplicou para Atherino a pena de 4 anos, 9 meses e 15 dias, para cumprimento em regime inicial semiaberto, além de pagamento de multa. Ambos foram absolvidos das imputações do crime de lavagem de dinheiro.

Ainda foram condenados executivos e funcionários do Grupo Odebrecht, denunciados pelo MPF/PR e considerando a colaboração no caso. O ex-governador é réu em outra ação penal, que ainda está em tramitação.

Santo Antônio da Platina - PR
Atualizado às 14h46
32°
Pancada de chuva Máxima: 32° - Mínima: 23°
36°

Sensação

4.7 km/h

Vento

70.8%

Umidade

Fonte: Climatempo
Foto Valdir
TOCA LANCHES
Cinema Caffe 300x600
Ademir Imóveis 300x600
Lettech 300x250
CINEMA CAFFE 300x250
RM AR CONDICIONADO
WhatsApp Tá no Site Notícias
Rodoviário Afonso 300x250
Blogs e colunas
SICOOB
WhatsApp Tá no Site
CDS 300x250
KANOA TROPICAL HOTEL
Foto Valdir
PIPELINE PISCINAS
Últimas notícias
SCHMIDT MOTOS 300x250
LUIZINHO AR CONDICIONADO 300X250
Mais lidas
NEFERSON 300x250 NOTÍCIAS
Óptica Visão
Supermercado Real 300x250 nas notícias
CENTRO AUTOMOTIVO BEIRA RIO 300x250 INTERNA
AUTOAR REVISORA 300x250